domingo, 8 de dezembro de 2013

O caso Walter Collins e a bizarra troca de crianças arquitetada pela polícia de Los Angeles

Tudo começou com o desaparecimento de Walter Collins aos 9 anos de idade no dia 10 de março de 1928. Walter filho de uma mãe solteira Christine Collins e o seu desaparecimento caiu na mídia rapidamente. A polícia de Los Angeles corrompida e pressionada pela mídia planejou algo extremamente cruel. Arquitetaram uma troca e colocaram outro garoto no lugar de Walter. O impostor entregue a mãe era na realidade Arthur Hutchins Jr., um pequeno fugitivo de Illinois que com a ajuda dos corruptos se passou por impostor com o objetivo de viajar pela Califórnia e conhecer seu ator favorito, Tom Mix.

Walter Collins

O que eles não contavam é que Christine iria insistir até o fim que aquele garoto não era seu filho e que Walter ainda estava por aí. Mesmo tendo argumentos sólidos que embasavam suas observações, os policiais insistiram na farsa e com medo de serem desmascarados internaram Christine contra sua vontade em um pavilhão psiquiátrico do Hospital Geral do Condado, sob o "Código 12" de internamento. O "Código 12" era um termo utilizado para prender, sem julgamento prévio, pessoas com comportamentos difíceis ou inconvenientes. Ela só foi posta em liberdade dez dias mais tarde após a parte da polícia não corrupta interrogar o garoto e conseguir uma confissão que chocaria o país na época, que ele não era Walter Collins e na verdade se tratava de Arthur Hutchins Jr. Após a confissão do garoto, Christine não só foi libertada como também o caso voltou a ativa.

O impostor Arthur Hutchins Jr.

 Paralelamente ao desaparecimento de Walter, algo bizarro vinha acontecendo no vilarejo de Wineville, condado de Riverside. Lá ocorreram "os assassinatos do galinheiro de Wineville" entre 1928 e 1930. Tais mortes foram aqrquitetadas pelas mãos de um sádico psicopata chamado Gordon Stewart Northcott, que sequestrava garotos na faixa dos 10 anos e os levava para seu galinheiro onde abusava, torturava e matava as crianças. Junto de Gordon, existiam dois cúmplices, um era seu sobrinho, Stanford Wesley Clark de quinze anos e sua avó ou suposta mãe, Sarah Louise Northcott.

Tudo começou a se encaixar quando Stanford acusou seu tio de maus tratos e abusos sexuais além do assassinato de três garotos, um deles, Walter Collins. No local foram encontrados machados, ossos, cabelos e os dedos de três vítimas em cal, enterrados atrás do galinheiro. Stanford diz que Gordon também matou um garoto mexicano, que nunca teve sua identidade revelada. Sem os recursos científicos atuais, como o exame de DNA, era extremamente difícil confirmar a quem pertenciam os corpos encontrados.

Gordon Stewart Northcott

Gordon fugiu, mas foi encontrado no Canadá e imediatamente levado para à prisão de San Quentin. Após julgamento, foi condenado por sequestros, torturas, abusos, assassinatos e desmembração de pelo menos três menores, um deles, Walter Collins. Sua sentença foi a forca.

Antes de ser enforcado, Northcott assumiu o assassinato de todas as crianças, inclusive Walter, mas voltou atrás neste caso. Anos mais tarde um dos garotos desaparecidos, e que Northcott teria confessado o assassinato, apareceu vivo e isso aumentou as esperanças de Christine Collins na busca por seu filho. Ela morreu sem desistir, mas Walter nunca foi encontrado. Sua saga foi retratada no filme A Troca estrelado por Angelina Jolie.

Christine Collins

Artigo original. Sua reprodução é livre desde que seja incluída a fonte.
Lei n.º 9.610/98.
Comentários
14 Comentários

14 comentários:

  1. Assisti ao filme, realmente uma historia muito triste desta mãe e crianças. É muito triste saber que o Walter nunca fora encontrado.

    ResponderExcluir
  2. o filme é lindo .mais eu queria saber o que aconteceu c cristine depois se ela se casou ou teve mais filhos ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cristine Collins nunca voltou a casar e morreu sozinha em 1975. Uma história muito triste mesmo.

      Excluir
    2. O filme não é "lindo", só mostra a face macabra de um ser humano e uma polícia corrupta? Como acha que essa mãe que teve o filho sodomizado e morto ficou? Péssima, é claro. Pergunta idiota.

      Excluir
    3. E família ela não tinha ao lado pai mãe irmãos ? É o pai do filho dela ? O que houve com ele

      Excluir
  3. Assisti o filme, e realmente é uma triste história. E ao saber que ela viveu a procura do filho e nunca a encontrou, é mais triste ainda, faz pensar que o filho foi vítima de assassinato. 😢

    ResponderExcluir
  4. É muito triste saber q ainda vivemos em um mundo onde existe animais como Gordon...mantemos nossos filhos presos...Quando existem monstros a solta
    O pior pesadelo de uma mãe Christine passou...mas tenho certeza q ela encontrou seu filho...seu anjo...lá no céu.

    ResponderExcluir
  5. A questão do filme, é que conta a peleja que a mãe teve em procura do filho. Não seria viável e nem um pouco interessante se a mostrasse seguindo sua vida; ao meu ver, se isso fosse feito, o filme perderia o foco.
    Por isso o nome A TROCA e não A VIDA DE CRISTINE COLLINS.
    Fica a dica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que nos dias d hoje ninguém pensou em fazer o dna p solucionar isso? Até eu quero saber...

      Excluir
  6. Nossa, o comentário anterior é tão pretensioso quanto imbecil.
    Fica a dica.

    ResponderExcluir
  7. Será q hoje em dia ninguém pensou em fazer o dna desses ossos encontrados? Até eu quero saber...

    ResponderExcluir
  8. Queria saber tbm se ela não tinha família tipo irmãos, pai, mãe para ajudá-la
    E sobre o pai de Walter collins nunca foi sitado o que houve com ele morreu ou abandonou Cristian collins com filho

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...