domingo, 13 de setembro de 2015

Pesquisa descobre que lendário “Rei Arthur” era apenas um general escocês e não fazia parte da realeza


Você provavelmente conhece a lenda do Rei Arthur, que realizou grandes batalhas em toda a Grã-Bretanha, foi membro da Távola Redonda e manipulou a espada Excalibur. Porém, a história é realmente apenas uma lenda.

Um estudo acadêmico britânico revelou que ‘Rei Arthur’ era um general, e não um monarca, do século V ou VI, que realizou a maioria de suas batalhas ao sul da Escócia e ao norte da Inglaterra.

Baseando suas conclusões em um trabalho escrito em latim, no século IX, por um monge galês, Andrew Breeze, da Universidade de Navarra, na Espanha, também acredita que Arthur viveu a maior parte de sua vida em Strathclyde, na Escócia.

“Arthur realmente existiu, mas ele não é tão histórico quanto a rainha Victoria. Ele realmente fez grandes batalhas. Reconhecendo isso, todos os tipos de coisas sobre a história britânica começam a fazer sentido. Nós podemos dizer desde já que ele não tinha nada a ver com a guerra contra os anglo-saxões, pois ele lutava contra outros britânicos, ao norte”, disse Andrew em entrevista.

O trabalho do monge, chamado Nennius, que é intitulado ‘A História dos Britânicos’, também conta como Arthur lutou contra outros bretões do norte, nos anos 530, antes de ser morto em Camlan, em 537. A crônica também revela os nomes de nove lugares onde Arthur lutou com seus inimigos, causando muito debate entre os especialistas ao longo dos séculos. Andrew acredita ter localizado todos eles.

"Ele enumera nove lugares onde Arthur realizou batalhas. Estudiosos têm confundido eles durante 900 anos. Nós temos a lista notória destes lugares muito obscuros. Eu vasculhei livros convencionais, com os nomes de lugares da Inglaterra e Escócia, e eu marquei cada um deles que poderia ser identificado pela descrição", acrescentou.

De acordo com Andrew, das nove batalhas feitas por ele, sete foram na Escócia, uma no River Glen, em Northumberland, e a nona foi a Batalha de Camlan, onde Arthur caiu, que aconteceu perto de Carlisle.

Outra famosa batalha vitoriosa de Arthur teria sido descrita em Badon, que Andrew localizou como sendo em Witshire, embora tenha excluído o fato da batalha ter qualquer ligação com Arthur.

Ele disse que Arthur foi referido por Nennius como 'Dux bellorum' (o líder das batalhas), acrescentando: "Temos este grande personagem lendário e é maravilhoso contar histórias, mas isso é apenas uma lenda medieval. Por trás desta lenda medieval, há uma figura histórica. Ele não era um rei, mas ele tinha um nome latino. Arthur vem do latim, então, ele não era um mito, e não uma espécie de deus lendário ou qualquer coisa do tipo”.

“Ele provavelmente falava inglês e latim e era, obviamente, um general muito corajoso. As fontes antigas não dizem nada sobre ele ser rei, que virou uma lenda, posteriormente, assim como a Távola Redonda e Guinevere - sua esposa)”, acrescentou.

A lenda de Arthur influenciou dezenas de livros, incluindo ‘O Rei Arthur e Os Cavaleiros da Távola Redonda’, escrito pelo romancista inglês Thomas Malory, no século XV, além dos filmes Rei Arthur, em 2004, estrelado por Keira Knightley e Clive Owen, e Camelot, de 1967, com Richard Harris e Vanessa Redgrave.

Fonte: Jornal Ciência
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...