domingo, 18 de janeiro de 2015

A verdade sobre as sociedades secretas


Ao longo da história, grupos de homens se reuniram para orientar os acontecimentos políticos, econômicos e sociais a seu favor, sejam eles imperadores, reis, rainhas, seus conselheiros e assessores, e assim por diante. Porém, houveram outros grupos desconhecidos, chamados de sociedades secretas, que podem ter exercido uma influência considerável sem serem figuras de atenção pública.

A Cavaleiros Templários foi uma sociedade secreta formada por cavaleiros cristãos na época medieval, fundada aproximadamente em 1118 para proteger os peregrinos que viajavam para a terra santa durante e após as cruzadas. Eles receberam o apoio oficial da Igreja Católica em 1129. Dentro de poucas décadas, eles se tornaram uma das ordens mais poderosas da Europa, com um sistema bancário seguro e sofisticado, forte presença militar, legiões de seguidores e território em constante crescimento.

Os Templários eram mais do que apenas cavaleiros da Cruzada com dinheiro; eles tinham um rigoroso código de conduta, que incluía não recuar na batalha a menos que estivessem em número bem menor, e comprometimento em proteger os peregrinos em suas viagens.

Os cavaleiros também foram ligados a muitas lendas cristãs, incluindo a do tesouro do rei Salomão encontrado enterrado sob o Templo de Salomão, em Jerusalem, de acordo com a National Geographic. Também especula-se que eles adquiriram a Arca da Aliança, o Santo Graal e/ou o sangue de Jesus Cristo.

Não restou nenhuma evidência que confirme que eles conseguiram adquirir algum tesouro, mas os Cavaleiros Templários obtiveram uma grande quantia de riquezas durante sua existência – o suficiente para colocá-los em conflito com o Rei Philip da França, no início do século XIV. O rei, que devia uma grande quantia de dinheiro a ordem, prendeu e torturou centenas de membros da Ordem, acusando-os de idolatria, heresia e adoração ao diabo. Muitos da ordem foram executados. A ordem foi dissolvida pelo Papa alguns anos depois, deixando apenas sonhos despedaçados e rastros de lendas.

Os Illuminatis são rotulados por muitos teóricos da conspiração como sendo uma sociedade secreta que domina os governos do mundo, a economia e outras muitas organizações poderosas.

A organização foi fundada em 1776, por um homem chamado Adam Weishaupt, professor de direito da Baviera, de acordo com a Discovery News. Weishaupt alegou ter conhecimentos enigmáticos escondidos, mas não está claro onde ele recebeu essas informações. Além disso, a sociedade acreditava que o homem não era mal em seu estado natural, mas que foi corrompido pela religião, pelo governo e por meio de outras forças da sociedade contemporânea.

Weishaupt supostamente tinha um plano detalhado e organizado para mudar o mundo, e disse que no futuro todos iriam aceitar suas crenças, de acordo com a Discovery.

Os Illuminatis foram banidos da Baviera em 1783, levando à sua dissolução em todo o resto da Alemanha em 1800. No entanto, as suas ideias já haviam se espalhado pela América e por toda a Europa, levando muitos a especular que a ordem permanece até hoje, em regime ultrassigiloso.

À medida que a economia mundial cresce, e desde o início da Organização das Nações Unidas, os teóricos da conspiração continuam a apontar para o aumento de exemplos que evidenciam a existência e a influência do grupo, já que a união mundial do governo, da economia e do pensamento é a meta final dos Illuminatis.

A maçonaria é uma sociedade secreta bastante conhecida hoje em dia. Sua existência não é tão secreta, apesar de suas práticas por trás das portas fechadas permanecerem um mistério. Muitos pais fundadores da América eram maçons, como George Washington, Benjamin Franklin, Paul Revere e muitos outros, de acordo com o serviço da Associação Maçônica (MSANA).

A primeira Grand Lodge of England (órgão administrador da maçonaria na Inglaterra) foi estabelecida em 1717, mas a origem dos maçons não é clara. Um poema referente aos maçons, o “Poema Regius”, é datado de 1390, mas a origem da sociedade por ir ainda mais longe.

Os maçons se identificam como uma fraternidade mundial, com ênfase no estudo pessoal, no auto-aperfeiçoamento, na iluminação, na dignidade do homem, na liberdade individual, na liberdade de culto, na democracia e na melhoria social. A sociedade geralmente fica envolvida nas comunidades locais onde foram estabelecidos seus capítulos, e a sociedade faz regularmente práticas filantrópicas. Os maçons, adicionalmente, ajudaram a estabelecer as primeiras escolas públicas na Europa e na América, de acordo com a MSANA.

Outra sociedade secreta conhecida é a Skull and Bones, da Universidade de Yale. Da mesma forma que os maçons, a existência da Skull and Bones é plenamente reconhecida, no entanto, as práticas e atividades são um mistério.

Além disso, são abertas apenas 15 vagas por ano, o que significa que há apenas cerca de 800 membros ativos em qualquer época, de acordo com a CBS News. Embora a ordem seja pequena, em comparação, tem contado com membros como presidentes (George Bush, pai e filho), senadores (incluindo o senador John Kerry), e uma série de funcionários do gabinete e outros oficiais de alto escalão dos Estados Unidos.

A sociedade foi fundada, originalmente, em 1832 e era chamada de Eulogian Club, que ainda se reúne duas vezes por semana. Não se sabe muito sobre ela, o que leva a muitos rumores e especulações. Outros consideram esta organização simplesmente como uma fraternidade universitária reservada para os filhos dos mais poderosos.

Outra sociedade secreta menos conhecida, mas que certamente existe, e tem considerável influência no mundo, é conhecida como Sociedade Bilderberg, que se reúne a cada ano para uma conferência de três dias. Seus membros se conheceram em 1954, no Hotel de Bilderberg, em Oosterbeek, de acordo com o site oficial do grupo.

Os participantes do grupo mudam a cada ano, e a reunião é estritamente para convidados. Os locais das conferências mudam anualmente, e os jornalistas não estão autorizados a participar. A agenda da reunião é para promover o diálogo entre a Europa e América. Isso era especialmente importante durante a sua criação, na Segunda Guerra Mundial.

De acordo com o site da organização, os membros são livres para discutir sobre a sociedade, mas eles não estão autorizados a citar qualquer membro em particular. Isso é para garantir que cada membro possa ser livre para discutir em diálogo aberto e para debater.

Fonte: Epoch Times
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...