sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Novo teste de DNA revela origem do Sudário de Turim


Um grupo de pesquisadores italianos descobriu o vestuário - considerado por alguns como o pano do enterro de Jesus Cristo, embora a ciência provou que não é o caso - contém DNA de plantas encontrados em toda a Terra.

"Aqui nós relatamos as principais conclusões a partir da análise do DNA genômico extraído de partículas de pó aspirado de partes da imagem corporal e na borda lateral usados ​​para a datação por radiocarbono," disse o Dr. Gianni Barcaccia, professor de genética e genômica de plantas na Universidade de Padova, que escreveu um trabalho em co-autoria com seus colegas sobre os resultados das análises do DNA.

Após o sequenciamento do DNA de pólen e poeira encontrado na mortalha, os pesquisadores descobriram vários grupos de plantas nativas do Mediterrâneo, assim como da Ásia, Oriente Médio, ou das Américas, que devem ter sido introduzidos em um momento posterior ao período Medieval, de acordo com os pesquisadores.

Os resultados, publicados na revista Scientific Reports, em 5 de outubro, sugerem que o pano pode ter sido fabricado na Índia e, em seguida, foi transportado do Oriente Médio para Turim.

Em 1988, testes de carbono-14, indicavam que as fibras do pano datavam de 1260 e 1390 (pouco mais de mil anos depois da crucificação).

Mas um estudo de 2005, realizado por um químico aposentado do Laboratório Nacional Los Alamos negou esse achado, argumentando que o material testado em 1988 veio de um pedaço aplicado à mortalha nos tempos medievais. O estudo de 2005 indicou que o Sudário tem 1.300 a 3.000 anos.

Fonte: History
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...