sexta-feira, 18 de abril de 2014

Mistérios do metrô de Moscou


Moscou tem muito do que se orgulhar: sua grande história, suas belezas. O metrô de Moscou é um dos mais belos do mundo, quem já esteve lá pode confirmar isso. Muitas estações são verdadeiras obras de arte. Mas vamos falar do que está escondido dos olhos do público – dos mistérios da cidade subterrânea.

Rumores de que no metrô de Moscou existem estações secretas, bunkers do governo, fantasmas e lugares com anomalias, tem circulado entre habitantes de Moscou há muitos anos. Mas o quê é verdade e o quê é ficção? Danila Veletsky, digger (escavador) e turista industrial que se dedica a estudar Moscou “subterrânea”, acredita que muito do que se conta sobre o metrô não passa de puras invenções:

“O metrô é uma instalação guardada, poucos são os que conseguem entrar em seus túneis e explorá-los. Se você for pego, terá problemas. Entre os diggers é comum contar quem e como lá entrou e que “horrores” viu durante o seu passeio. Em geral, todas as histórias são sobre ratos mutantes e todo o tipo de escumalha – apenas histórias de pessoas que sabem que ninguém será capaz de verificá-las. Não há nenhum trem fantasma lá. Mas as informações de que existem lá estações que não estão no mapa do metrô são pura verdade.”

Acredita-se que um bunker secreto do governo devia estar numa estação especial, fechada para passageiros, chamada Sovetskaya, que estava localizada entre as estações Teatralnaya e Mayakovskaya. Por ordem pessoal de Stalin foi decidido usar a estação Sovetskaya como um posto de comando subterrâneo do quartel general da Defesa Civil de Moscou. Assim, no coração de Moscou, apareceu um túnel invulgarmente longo entre estações, o que causou muitas conversas entre a população. Foi justamente por isso que se decidiu construir mais uma estação, a Tverskaya, que foi inaugurada em 1979. Acredita-se que olhando atentamente o túnel antes da estação Tverskaya podem ver-se os restos da plataforma e do hall da estação Sovetskaya.

Algumas estações simplesmente têm uma má reputação. Por exemplo, a estação de Sokol. Ela foi construída a uma grande profundidade, mas quase no lugar do enterro de soldados mortos na Primeira Guerra Mundial. Maquinistas sempre tentam passar esse túnel em máxima velocidade. Muitas pessoas sensíveis começam abruptamente a ter dores de cabeça lá, e quase sempre há lá um odor muito estranho e desagradável. A situação é semelhante com a estação Preobrazhenskaya Ploshchad que foi construída sob o cemitério Preobrazhenskoe.

Danila Veletsky lembra que até hoje existe entre os jovens de Moscou a lenda de um trem fantasma: “Várias vezes por mês, à meia-noite, um trem fantasma aparece na linha circular. Ele quase nunca abre as portas. Dentro estão as almas de prisioneiros que trabalharam na construção do metrô e morreram lá. Se você ver esse trem, é um mau sinal. Se as portas do trem abrirem, nunca entre nele, senão desaparacerá para sempre. O trem, por falar nisso, é de modelo antigo. Com assentos inflacionados e lâmpadas antigas. Mas desde que há uns anos introduziram na circular a última geração de novos trens, a lenda chegou ao fim. Foi assim que o progresso destruiu as forças do mal.”

O metrô de Moscou é belo e misterioso. E, no entanto, uma vez lá, pare por um momento e olhe ao redor sem pressa, e depois entre numa carruagem. Perscrute a escuridão do outro lado da janela: quem sabe, para você se levantara um pouco o véu de mistérios e segredos do metrô de Moscou.

Fonte: Voz da Rússia
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...