sábado, 3 de agosto de 2013

Descobertas arqueológicas revelam civilização pré-histórica ao longo da Rota da Seda

Arqueólogos escavaram relíquias que mostram que humanos pré-históricos viveram ao longo da Rota da Seda, muito antes que ela fosse criada há cerca de 2 mil anos, como uma importante rede do comércio euro-asiático.

Um projeto de escavação, que começou em 2010 nas ruínas da Província de Gansu, noroeste da China, forneceu evidências de que pessoas viveram na margem oeste do Rio Heihe de 4.100 até 3.600 anos atrás e que eram capazes de cultivar produtos e fundir cobre, informaram os pesquisadores. Acredita-se que o local pode remontar à Dinastia Han (202 a.C. - 220 d.C.).

Durante os últimos três anos, os arqueólogos descobriram uma variedade de artigos de cobre, bem como equipamentos utilizados para fundir metais, disse Chen Guoke, um pesquisador do Instituto de Arqueologia de Gansu.

"As pessoas daquela época lidavam principalmente com metal vermelho. Elas também começaram a produzir ligas". informou Chen, que atua como diretor do projeto.

Chen acrescentou que uma fundição de cobre muito rara também foi encontrada nas ruínas.

"É a mais antiga deste tipo que já foi escavada. Será de grande ajuda para os estudos da história da arte chinesa", disse Zhang Liangren, professor da Universidade Noroeste em Xi'an, capital provincial de Shaanxi.

Os pesquisadores também encontraram cevada carbonizada e sementes de trigo, bem como enxadas e facas de pedra utilizadas na agricultura, informou Zhang, acrescentando que algumas casas de argila também foram encontradas este ano.

As descobertas indicam que os intercâmbios entre o leste e o oeste começaram antes da Dinastia Han, já que a arquitetura com argila, cevada carbonizada e trigo são originários da região central e oeste da Ásia, de acordo com Zhang.

Uma série de descobertas anteriores durante a última década também forneceram evidências da existência de uma civilização pré-histórica ao longo da Rota da Seda.

De 2003 até 2005, arqueólogos escavaram as ruínas de Xihetan na cidade de Jiuquan na Província de Gansu.

"Ficamos surpresos ao encontrar um curral utilizado para bois e carneiros preservado nas ruínas. A descoberta não tem precedentes," disse Zhao Congcang, outro professor na Universidade Noroeste. Foram encontradas também pegadas e esqueletos de gado no local.

Em 2005, pesquisadores da China e do Japão concluíram um projeto de escavação de três anos nas ruínas de Mozuizi na cidade de Wuwei na Província de Gansu, encontrando vestígios de uma tribo primitiva que viveu há cerca de 4.500 anos.

A antiga Rota da Seda, que começava da antiga cidade de Chang'an, conhecida como Xi'an agora, se entendia à região do Mediterrâneo no oeste e ao subcontinente indiano no sul. Tem um comprimento total de mais de 10 mil quilômetros, com 4 mil quilômetros na China.

Em janeiro, a China, o Cazaquistão e o Quirguistão fizeram um pedido à UNESCO para incluir a antiga Rota da Seda na Lista do Patrimônio Mundial em 2014.



Fonte: CRI
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...